FOOD DESIGN: PARTE 2- AS CATEGORIAS DO FOOD DESIGN

Como já falamos aqui no blog, o Food Design é a vertente do design que abrange o projeto dos alimentos. Também falamos que o Food Design é organizado pela Sociedade Internacional do Food Design (IFDS) que o subdividiu para facilitar a compreensão de suas aplicações e atividades.

Neste artigo, você vai conhecer alguns exemplos interessantes da aplicação do Food Design, confira.

AS CATEGORIAS DO FOOD DESIGN

Em 2007 a Dr Francesca Zampollo, fundadora do IFDS, subdividiu o Food Design em 5 categorias que são:

  1. Design with food 
  2. Design for food 
  3. Food space design
  4. Food Product design
  5. Eating design
  6. Food service design
  7. Critical food design
  8. Food system design 
  9. Sustainable food design 

Confira o que cada uma dessas categorias significa e seus exemplos de aplicações práticas.

Design with food

O Design with food considera a matéria-prima em termos de sabor, consistência, temperatura, cor e textura. Essa classificação inclui a arte culinária feita pelos chefs e a criação de algo novo. Como exemplo essa cápsula de café, técnica desenvolvida por Ferran Adrià, é aplicada ao café para dar uma sensação única. Um café líquido envolvido em uma membrana transparente, que explode no céu da boca para liberar todo seu aroma é a proposta de Ferran.

Ferran Adrià’s Hot Coffee Sphere.

Um outro exemplo são os alimentos produzidos pela impressora 3D da Philips Design, onde os ingredientes podem ser combinados, quanto a forma e consistência, pelo usuário.

Alimentos feitos na impressora 3D. imagem: Philips Design

Design for Food

O Design for Food considera os artefatos que fazem parte da preparação, distribuição e a comunicação de alimentos, como exemplo comentado acima, para a impressão de alimentos a Philips Design desenvolveu uma impressora própria para alimentos.

Impressora 3D de alimentos. Fonte: Philips design

A tecnologia usada na criação de alimentos é a gastronomia molecular onde é possível combinar uma variedade de ingredientes comestíveis que depois são impressos. Da mesma forma que as impressoras 3D já existentes, estas criam representações tridimensionais de conceitos de produtos.

Um outro produto desenvolvido pela Philips é o Nutrition Monitor, que serve como um sensor, um scanner e um dispositivo de exibição. Basicamente esse produto diz aos usuários o valor nutricional dos alimentos e quais os tipos de alimentos que seu corpo precisa.

Monitor de nutrição. Fonte: design probes by Philips Design

 

Um exemplo mais próximo aos encontrados no dia-a-dia, é a embalagem desenvolvida para permitir carregar um lanche em apenas uma mão e ainda gerar menos lixo com menos embalagem.

Crédito de imagem: packagingoftheworld

Food Space Design

O Food space design trata da concepção de espaços alimentares, considerando todas as características do ambiente tais como interiores, materiais, cores, iluminação, temperatura, música, como também a roupa dos empregados e o comportamento em relação aos clientes.

Um bom exemplo é o restaurante Rice Home, uma nova marca de Hong Kong que para chamar a atenção da qualidade de seus produtos feitos arroz, usou formas da natureza para decorar o ambiente, além de usar um estilo moderno condizente com a proposta dos pratos.

AS Design Service. Fotografia por Sing Studio By Sum Sing

Food Product Design

O Food product design é o projeto de alimento a ser produzido em massa, em escala industrial como: Pringles, macarrão, sorvete, chocolate, lanches, etc. Um ótimo exemplo para essa categoria do Food Product Design é o projeto desenvolvido pelo MIT Massachusetts Institute of Technology juntamente com o  Tangible Media Group. O projeto criou formas de massas que vão da forma bidimensional para tridimensional, quando mergulhado em água. Dessa forma, o macarrão plano pode economizar até 67% do volume em seu transporte e armazenamento, afirmou Wen Wang, um dos pesquisadores da equipe.

Eating Design

O Eating Design projeta para a experiência de comer e onde os designers têm controle absoluto sobre a grande maioria dos aspectos que a influenciam. Um bom exemplo de Eating Design é o serviço oferecido pela empresa de catering de NYC Food DesignPinch , onde a comida é servida pendurada em um guarda-chuva, tornando a experiência lúdica e única.

Imagem: https://www.pinchfooddesign.com

Food Service Design

O Food Service Design é a aplicação dos conceitos de design de serviço nos alimentos e considera as basicamente as interações, ou seja, as atividades que ocorrem ao longo do tempo com metas e resultados. Um exemplo de aplicação do Food Service Design é o aplicativo ‘Too Good To Go’, que permite que você compre de restos de restaurantes a um preço baixo, alimentos que se não fossem consumidos iriam para a lixeira.

Aplicativo Too-Good-To-Go. Crédito de imagem: smart-restaurants.co.uk

Ainda quanto à categorização do Food design, o IFDS ainda traz as subdivisões: Critical food design como a disciplina que nos faz pensar sobre questões alimentares. Food system design  que assume aspectos mais amplos e a própria relação sistema produto-serviço. Sustainable Food Design que aborda questões sobre a sustentabilidade dos alimentos.

Com base na classificação e conforme a área de atuação, o profissional de food design deverá considerar em seus projetos requisitos como: as características organolépticas dos alimentos (aquelas características que podem ser percebidas pelos sentidos humanos), a segurança alimentar, a antropometria dos consumidores; as propriedades sensoriais dos alimentos (consistência da matéria, gosto, odores), percepções visuais (cores, formas, texturas), usabilidade, acessibilidade, praticidade de consumo e processo produtivo.

Como pode ser visto, o tema está longe de ser tratado puramente pelo senso estético. Em meu próximo artigo abordo o projeto de alimentos produzidos em massa, categorizados como Food Product Design, considerando questões como adaptação ao usuário, o que denomino de Food Ergonomics. O termo pode parecer estranho, mas pretende chamar a atenção a um problema com dados bastante relevantes.

Você sabia que a Associação Americana de pediatria contabiliza por ano mais de 10.000 visitas nas emergências atribuídas à asfixia por alimentos em crianças menores que 14 anos?

Confira o próximo artigo e saiba mais. Se gostou do assunto compartilhe ou escreva nos comentários o que achou.  😉

Consultora e Designer estratégico na Features Design. Foi professora de Marketing e Mídias sociais nos Cursos de Publicidade e Propaganda e Produção Multimídia no IFSC. Apaixonada por café, design e tudo que se relaciona a estratégia empresarial.

Comments

comments

Comente

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *